Personalizando o ambiente do usuário

  • Material de apoio – Instalação e configuração de Sistema Operacional de Redes Linux.
    • Personalizando o ambiente do usuário

 

Anúncios

Arquivo .bash_aliases

Já falei um post sobre o comando alias.

Esse comando é bem interessante, pois permite criar apelidos para os comandos de uma forma que seja mais fácil para lembrar.

Embora seja útil, eu sempre fui um tanto restritiva no uso do alias, pois acho que, se acostumar demais a usar o alias, pode acabar esquecendo como usar o comando de verdade, ou até esquecer o nome real para o comando… o que, para que está aprendendo a trabalhar com Linux, pode ser um tanto desastroso.

Mas… o comando alias existe, é útil e eu finalmente deixei de ser chata comigo mesma e comecei usar o alias :P. O motivo? Diariamente, preciso fazer acessos à muitas máquinas… muitas mesmo. E eu não lembro o IP, nem o nome da rede, e muito menos as portas que preciso acessar… Então achei que seria bacana utilizar o alias com o nome das máquinas com o comando ssh…

Comecei fazendo o simples:

# vim ~/.bashrc
alias nix=’ssh ivani@nix.com.br’

A linha acima, eu inseri no arquivo .bashrc do meu usuário. Mas, dando uma lida mais atenta ao .bashrc, vemos que é possível ter um arquivo exclusivo de alias, o .bash_aliases.

Claro que você continua tendo a liberdade de manter seus alias no .bashrc, mas a idéia de concentrar todos alias em um arquivo só é legal porque facilita a manutenção.

A parte do .bashrc que chamou minha atenção é essa:

# Alias definitions.
# You may want to put all your additions into a separate file like
# ~/.bash_aliases, instead of adding them here directly.
# See /usr/share/doc/bash-doc/examples in the bash-doc package.

if [ -f ~/.bash_aliases ]; then
. ~/.bash_aliases
fi

A primeira providência, foi instalar o pacote bash-doc. Uso o Ubuntu 9.10, então fui no terminal e executei:

# sudo apt-get install bash-doc

Depois de instalado, copiei o arquivo Bash_aliases para o meu home:

# cp /usr/share/doc/bash-doc/examples/startup-files/Bash_aliases .bash_aliases

Em seguida editei o arquivo que copiei:

# vim ~/.bash_aliases

Quando editamos o arquivo, ele já vem com alguns exemplos de aliases, que podemos comentar. Eu comentei as linhas dos blocos “Some useful alias” e “Csh compatability” e acrescentei no final do arquivo os meus aliases:

alias ls=’ls –color=auto’
alias grep=’grep –color=auto’
alias fgrep=’fgrep –color=auto’
alias egrep=’egrep –color=auto’
alias nix=’ssh ivani@nix.com.br’

Aí depois salvei o arquivo, saí e atualizei com o comando abaixo:

#source ~/.bashr_aliases

E para ver os alias que estão disponíveis, execute:

# alias

Referência:

Adding Terminal Aliases to Ubuntu

Comando alias

Neste post, vou falar sobre alias, que seriam mais ou menos como apelidos que podemos colocar em comandos. Muitas vezes temos uma linha de comando muito extensa, então é mais fácil criar um apelido para essa  linha de comando ao invés de digitar a linha toda.

O comando que cria os tais apelidos, é o alias… e sua sintaxe é:

alias <apelido>='<comando_linux>

Onde, <apelido> é o “apelido”, e, <comando_linux>, é o comando real que receberá o alias.

E detalhe… não deve existir espaços antes e depois do “=” e, caso o <comando_linux> tenha mais de uma palavra, ele deve vir entre ‘aspas simples’.

Por exemplo… teve um post que falei sobre o comando rm… e até mencionei que este é um comando que deve ser utilizado com muito cuidado!

Nos exemplos do comando rm, vimos que existe a opção -i, que é interativo… e teve até um comentário no post, falando sobre criar um alias para pedir confirmação ao remover um arquivo ou diretório!

Então, vamos criar o alias aqui:

# alias rm=’rm -i’

Após executar o comando acima, toda vez que for remover um arquivo ou diretório, será solicitado uma confirmação. Por exemplo:

# cd /tmp

# touch teste.txt

# rm teste.txt
rm: remove arquivo comum vazio `teste.txt’? y

Para confirmar a remoção, basta teclar y ou então, se desistir de remover, basta teclar n.

Outro exemplo de alias: para limpar o terminal, no Linux utilizamos o comando clear. Para quem tem saudades do DOS e quer usar o cls, basta criar um alias com esse nome:

# alias cls=’clear’

Aí, toda vez que executar o comando cls, irá limpar a tela.

É importante lembrar que, ao criar o alias, o comando original, não será apagado! Isso quer dizer que, caso digite o comando clear, ele irá limpar a tela normalmente! Só no caso do comando rm que, se você não remover o alias ele sempre irá pedir confirmação… se bem que no caso do rm, sempre é bom manter o alias que pede a confirmação 😉 !

Para checar os alias disponíveis, basta executar o comando alias sem argumentos:

# alias
alias rm=’rm -i’
alias cls=’clear’

Para remover um alias, basta executar:

# unalias cls

# alias
alias rm=’rm -i’

Para remover todos os alias:

# unalias -a

Onde a opção -a irá remover todas as definições de alias.

Até o próximo post! 😉